Org. Yume Vy – Antologia Enamorados

10:30 Milena Cherubim 7 Commentários


Em uma resenha eu disse que iria me aventurar por caminhos que eu nunca tinha ido, eu li este ano autoajuda, chick-lit, new adult, Young adult e agora Boy’s Love. Ai você me pergunta, “mas Milena que p@#$% de gênero é esse que eu NUNCA ouvi falar?”. Pois é, eu também não tinha ouvido ou lido a respeito. Mas você já ouviu sobre literatura GLS não é mesmo?

Esta coletânea foi um projeto idealizado pela Yume Vy, muito conhecida no cenário de fanfic. Eu realmente não acompanho fanfics e este livro e o Mitos e Lendas Japonesas chegaram para a minha pessoa pelas mãos da Josy Alves. Isso mesmo! A Josy foi colaboradora do Memories há muito tempo atrás e hoje está focada na faculdade de Letras e escrevendo sobre o que ela mais gosta, o cenário japonês.

Bom, essa antologia é curtinha, possui apenas seis contos e vou descrevê-los um por um.

Primavera


Este conto foi escrito pela Juliane Ivanow e nos transporta para o Japão. Mais precisamente Kyoto. Aqui a autora nos leva para um momento em particular: o Hanami. O florescer da vida. Um momento dentro do Castelo de Nijo, onde é possível apreciar um espetáculo de luzes, formas, cores e aromas. E neste cenário somos apresentados a Ryuichi e Soushi.

Bem nada mais para acrescentar do enredo, pois é necessário ler. A paixão com que a autora leva para as páginas de sua história é contagiante. Me senti dentro do restaurante, na rodinha de conversa dos amigos de dormitório, a frustração de não conseguir o estágio dos sonhos.  

Vórtex


Escrito por FM Vagabong (não sei por que as pessoas não colocam seus nomes rs acho tão estanho chamar a pessoa pelo seu pseudônimo... enfim... sou chata mesmo rs) este conto traz as descobertas, o não saber, o não querer mudar, a amizade, o amor e acima de tudo o companheirismo nos piores momentos. Kaleb e Tiago são amigos pela vida toda e devido a um problema eles ficam mais próximos.

Veja bem... achei esse conto interessante. Algumas sacadas boas, alguns diálogos divertidos, mas como um todo não me fez querer saber mais ou mesmo imaginar o que aconteceu com os amigos no final.

Encontros sob as Estrelas


A Li Youko que assina este conto. Aqui somos apresentados a Jean e Ricardo, dois amigos que sempre se encontram em um telhado e conversavam.
Olha, esse conto me deixou com a sensação de falta algo. Foi muito curto, poderia ter sido trabalhado melhor...

Quando te Vi


Vixi agora é o da Josy... tentarei ser a mais imparcial possível. Neste conto ela traz um rapaz que foi brutalmente machucado e largado no cais do porto bem em frente a sala de Jean. Este rapaz perdeu totalmente a memória e tinha apenas uma pulseira com o nome Alexander. E assim vamos conhecendo um pouco de uma pessoa preocupada e outra que não sabe nada do passado.

Este conto me deixou com calor rs é picante, intenso e depois que li a descrição da tatuagem... senhor... ô aqui em casa, mas fora isso eu não consigo imaginar uma pessoa que coloca pra dentro de sua casa um completo estranho... não me cativou o bastante. O conto está bem escrito e deixa um gostinho de quero mais.

Nosso Momento


Por Yume Vy. Yume traz Marcus e Yúri um casal de namorados que estão se conhecendo e aprendendo essa coisa nova de relacionamento homossexual.
Achei interessante como a autora abordou essa parte do relacionamento, a vontade versus o medo. O querer e o pudor... curti.

Primeira Vista


O último conto foi escrito por Sion Dias e traz novamente a temática de amor entre pessoas que não se conhecem.

Gente, sério... qual o problema das pessoas? O conto está até que legal, mas quem em sã consciência coloca uma pessoa que está no meio de um temporal pra dentro da sua casa? Isso é irracional. Não sou desconfiada, mas você está andando pela rua, passa na praça que fica na frente do seu apartamento, vê um cara bonito, sozinho, triste e deprimido e o convida pra ir se aquecer. Dentro do seu apartamento. Sendo que você está chateado porque faz exatos 12 meses que sua namorada o deixou por outro. Sim, você era hetero e se descobriu gay? Ou ainda Bi? Desculpa, mas não sei como isso funciona, mas acredito que a pessoa já nasça com a vontade de estar com pessoas do mesmo sexo, que sinta pelo menos uma atração pela pessoa. Agora você está chorando as pitangas porque sua ex te largou e de repente ao olhar para o garoto se apaixona por ele? Esse conto não me agradou... infelizmente.


Entre todos os contos, o “Primavera” foi o meu preferido, seguido pelo “Quando te Vi” e o final de “Vórtex”. Uma nota 4 que abarca a qualidade de escrita das autoras, o gênero que foi bem interessante e a diagramação que está fofinha. 


SERVIÇO:

Para adquirir um exemplar existem duas maneiras:








7 comentários:

  1. Oi amore! Muito obrigada por ler nossa obra e obrigada pela resenha no meu conto, fico feliz que tenha gostado! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, eu adorei seu conto, um dos melhores para mim

      beijos

      Excluir
  2. Oi, Mi.
    Esse não é um gênero que faz muito meu estilo, então prefiro não me aventurar!!
    Mas achei a iniciativa bacana!!!
    Beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante, mas pra quem gosta mesmo rs

      beijos

      Excluir
  3. Oi, Milena
    Em primeiro lugar, obrigada por ter conferido o nosso trabalho e tecer uma resenha para cada conto. Eu sou a FM Vagabond, sim aquela que somente deixou suas iniciais (Fátima Marques) junto do pseudônimo que uso para escrever fanfics do gênero yaoi. Na verdade, quando comecei a escrever eu pensava como tu, mas uma amiga mais alerta um dia me disse que eu como professora deveria pensar que nem todos tem a mente aberta e que, talvez eu não fosse considerada uma boa influência para crianças e jovens ao escrever sobre o tema, principalmente porque leciono em escolas confessionais. * risos Então, aqui estou agora como eu mesma agradecendo a tua gentileza, tuas críticas e elogios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prazer Fátima!!!! Hihi fico contente com o comentário aqui, é complicado mesmo pelo seu trabalho. Mas eu acredito que hoje em dia é necessário mostrar para a molecada que independente do gênero que você amar, o importante é ser feliz.
      Sei que o mundo que vivemos é ridiculo, mas tento passar para o máximo de pessoas que consigo que não importa o sexo, a cor, a raça... o que realmente importa é o respeito, o amor e a gentileza com o outro.

      Beijinhos

      Excluir
    2. Concordo contigo, Milena!! Com os meus alunos do ensino médio rola isso, a gente acaba compartilhando em segredo! * risos Já com os pequenos a coisa é diferente. Mas, vamos acreditar e torcer que, cada vez mais, as cabeças se abram. Creio que isso também ocorre no jornalismo, não? Então, mais uma vez, obrigada pela tua ousadia em nos conhecer!!! Um abração!!

      Excluir