O Que Me Faz Pular

08:30 Érica Guimarães 0 Commentários


Título Original: Jiheisho No Boku Ga Tobihaneru Riyu
Titulo da Versão Britânica: The Reason I Jump
Autor: Naoki Higashida
Tradutor: Rogério Durst
ISBN: 978-85-8057-497-5
Gênero: Autismo, Deficiencias do Desenvolvimento, Crianças Autistas, Integração Social
Páginas: 190
Editora: Intrínseca
Nota: 5/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino / Amazon





Sinopse: Naoki Higashida sofre de autismo severo. Preso em seu mundo individual, muitas vezes ele exibe comportamentos vistos como estranhos, peculiares, “inadequados”. Seja repetindo palavras e frases aparentemente sem sentido ou evitando contato visual com outras pessoas, Naoki tem uma enorme dificuldade de se comunicar e de socializar.

Porém, graças à determinação da mãe e de uma professora, ele aprendeu a se expressar apontando as letras em uma espécie de teclado de papelão – e o que tem a dizer traz uma nova luz para a compreensão da mente autista.

Com apenas treze anos, Naoki escreveu O Que Me Faz Pular, um relato íntimo e perspicaz que explica o comportamento muitas vezes desconcertante de pessoas com autismo. Além de compartilhar suas percepções de tempo, vida, beleza e natureza, o autor apresenta também pequenos contos que provam, sem deixar dúvida, que não lhe faltam imaginação, senso de humor e empatia.
Impactados pela mensagem de Naoki, o premiado escritor inglês David Mitchell e sua esposa, K.A. Yoshida, trouxeram para o leitor ocidental esse comovente relato autobiográfico, que conquistou grande sucesso de púbico e crítica e dissipou alguns dos mitos mais comuns sobre o autismo. Com lindas ilustrações, O Que Me Faz Pular oferece uma oportunidade rara de ver o mundo por uma perspectiva nova e fascinante.



Comentários:

Bonjour Anges!!

Com certeza você já ouvir falar sobre autismo. Pode não ter tido contato direto, mas acabou por conhecer alguém que conviveu com essa doença. De uma forma sucinta, autismo é um transtorno global do desenvolvimento que tem como principais características a inabilidade para interagir socialmente, a dificuldade no domínio da linguagem para comunicação e um padrão de comportamento restritivo e repetitivo. Para complicar ainda mais, esse transtorno acomete em vários níveis: há aqueles que são leves e não interferem tanto na fala e na “inteligência”, e há aqueles que são tão graves que o paciente é incapaz de manter contato interpessoal e é agressivo, distante, “retardado mental”.


Por mais pesquisas que tenham na área, ainda não foi descoberta a causa para que esse transtorno aconteça. Tanto é que por muitas vezes, famílias em que nascem um filho autista, os demais irmãos nascem normais. E por não se saber a causa, também não há uma cura.

Ter um autista em casa é algo que gera grande desequilíbrio emocional para os familiares e pessoas envolvidas. Cuidar de uma pessoa autista demanda tempo, paciência, amor e força. Principalmente nos casos mais severos, onde a comunicação é inexistente.

Naoki Higashida sofre de autismo severo e escreveu esta obra quando tinha trezes anos, ele tem muita dificuldade em comunicação verbal, mas aprendeu com a ajuda de sua mãe e uma professora a soletrar palavras usando uma prancha de alfabeto. Esse método possibilitou e o ajudou em sua comunicação, e com ela pode também escrever suas poesias e contos, ele tem seu próprio blog e já ganhou diversos prêmios com seus trabalhos literários.

Quando lemos as explicações de Naoki e suas respostas um novo mundo nos é aberto. É como se essas palavras fossem a chave para um lugar inacessível. É como se houvesse uma voz trancada dentro do Naoki esperando para enfim ser libertada, para que o mundo possa ver e principalmente entender o que ele sente e o que se passa em sua mente. Imagine como seria se você não conseguisse se comunicar, não conseguisse dizer como se sente, com as pessoas intuindo através de alguns detalhes ou reações o que você quer dizer, sendo que não é aquilo que você pretende. Eu senti a força de um jovem que externamente parece não saber de nada, mas que é extremamente brilhante, sensível e observador.

Essa livro é a oportunidade de saber o que se passava na mente da criança que vive o autismo, o que ela espera de nós. Você já parou para pensar por que eles se isolam? Por que alguns fogem? Por que às vezes eles sorriem assim do nada? Ou como funciona a mente deles quando perguntamos algo que tenha que invocar uma memória? Como reagem com uma organização? Por que preferem enfileirar os brinquedos? Como eles enxergam o mundo ao seu redor? Naoki nos dá respostas para essas perguntas e muitas outras, e me surpreendi demais com suas palavras.

A sensibilidade dentro de palavras simples é algo que emociona, que chega até a alma, e algo que ele sempre repete é “não desistam de nós”, “fiquem ao nosso lado”, um apelo para tentarmos compreendê-los, pois como ele mesmo escreve no final, ao compreendermos a verdade a respeito dos autistas já será uma grande luz, um raio de esperança na vida dos mesmos, e é nisso que eles se apegam: a esperança. Não a esperança de ser normal, mas sim de serem entendidos e aceitos como são.

Além das perguntas ele nos presenteia com alguns contos seus, e sério, é a coisa mais fofa da face da Terra. Naoki tem um talento maravilhoso, lhe foi dada a chance e ele se agarrou a ela com unhas e dentes e transformou isso em um sonho: quer se tornar escritor e levar sua mensagem para todos. Hoje através de suas palavras portas estão sendo abertas, pais estão podendo entender melhor seus filhos, como o próprio David Michell coloca em sua introdução, esse livro caiu do céu e foi transformador para seu relacionamento com seu filho, pois enfim ele entenderia o que se passava dentro da cabeça do mesmo, explicando o porquê de tantas dúvidas que ele tinha e ninguém conseguia explicar. Aprendendo que o caminho para compreendê-los não é fazendo a criança autista entender a forma como você vê o mundo, ou buscando na sua forma as explicações necessárias, mas sim você aprender a ver o mundo como ela vê, e a partir dai entrar em uma sintonia e enfim entende-los de verdade.

Para mim foi um “O que me faz pular” foi um livro revelador, simplesmente um dos melhores que já li. Tocante, real, sincero, divertido também, e emocionante. Uma voz enfim toma forma, eu realmente aprendi muito, não imaginava o quão difícil para eles é a situação que enfrentam e a espera para que sejam notados e ouvidos! Através dessa obra tirei lições que levarei para a vida toda, mais do que recomendado, é uma leitura obrigatória.


0 comentários: