Coração de Tinta

14:08 Adriana Reis Andrade 0 Commentários

Título Original: Tintenherz
Autor: Cornelia Funke
Tradutor: Sonali Bertuol
ISBN: 85-359-0772-6
Gênero: Literatura infanto-juvenil
Páginas: 456
Editora: CIA Das Letras
Nota: 5/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino








Sinopse:Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição. Quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado "Coração de Tinta". Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de Coração de tinta um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente sequestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.


Comentários:          
Olá novamente!
Demorei mas apareci com algo MA-RA-VI-LHO-SO pra vocês! CORAÇÃO DE TINTA, o primeiro livro da trilogia MUNDO DE TINTA.
Imagine só ter o poder de tornar real aquilo que você lê? Esse é o dom (ou a maldição) de Mortimer Folchat (ou simplesmente Mo); que ao ler o livro Coração de Tinta para sua filha e para sua esposa, três personagens saem (Dedo empoeirado, Capricórnio e Basta) do livro e outros três entram (Teresa ou Resa, a esposa de Mortimer, e seus gatos que estavam no colinho). E é assim que a aventura começa!
Anos se passam e a filha de Mo, Meggie, cresce em paz no meio dos livros do pai o encadernador, ou melhor, o Doutor de Livros. Mas essa paz toda acaba quando uma visita noturna aparece em meio à chuva procurando Mo para alertá-lo; Dedo Empoeirado diz que Capricórnio está em busca do livro Coração de Tinta e que é capaz de tudo para recuperá-lo.
Mo sai para “passear” com Maggie, tentando fugir dos fantasmas do passado e vão para a fantástica casa da sua tia avó Elionor Loredan, que possui a coleção de livros que todo “rato de sebo” sonha ter.

As criadas ainda estavam limpando as últimas migalhas das mesas quando de repente as moedas começaram a cair sobre a madeira lustrosa. As mulheres recuaram assustadas, soltaram os panos de limpeza e puseram as mãos na boca, enquanto as moedas pululavam aos seus pés, moedas douradas, prateadas, cor de cobre, repicavam no chão de pedra, amontoavam-se tilintantes sob os bancos, mais e mais moedas. Algumas rolaram até o pé da escada. Os homens de Capricórnio levantaram-se sobressaltados, curvaram-se para pegar as pecinhas cintilantes que batiam em suas botas... e recolheram as mãos novamente. Nenhum deles ousou tocar no dinheiro enfeitiçado. Sim, o que era aquilo senão ouro feito de papel e tinta preta e do som de uma voz humana? Quando a chuva de ouro cessou — no exato momento em que Mo fechou o livro

O livro se passa nessa fuga, vai e vem, foge e captura... Uma briga infinita com Capricórnio, com o egoísmo de Dedo Empoeirado, com a teimosia da Meggie... Mas mesmo assim o livro me cativou, com essa possibilidade de imaginar que o livro não acaba quando você termina de ler a última página.



0 comentários: