A peculiar tristeza guardada num bolo de limão

08:30 Adriana Reis Andrade 0 Commentários

Título Original: The Peculiar Sadness of Lemon Cake
Autor: Aimee Bender
Tradutor: Paulo Polzonoff
ISBN: 97-885-804-478-66
Gênero: Literatura americana - Romance
Páginas: 304
Editora: Leya
Nota: 4/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino





Sinopse:O que você faria se pudesse sentir o gosto das emoções? Rose Edelstein é uma menina que descobriu ter um talento incomum: ela sente o sabor das emoções das pessoas que preparam aquilo que come. E tudo começou semanas antes de seu aniversário quando, depois de uma briga com seu pai, sua mãe resolveu fazer um delicioso bolo de limão. Imagine o que você faria se seu paladar pudesse decifrar o gosto das emoções? É com isso que Rose tem de conviver daqui para frente. Com apenas nove anos, a curiosa menina sabe o que cada um sente secretamente e percebe que nunca mais comerá seus pratos preferidos do mesmo jeito. E o que ela pode fazer para lidar com isso?


Comentários:

Olá novamente! O que mais me atraiu nesse livro foi a capa (que feio, eu julgo um livro pela sua capa...) e depois o título! Mas aí comecei a ler e amei todo que vai atrás da cobertura!
Eu sinceramente não gostaria de ter esse talento. Pois nem todos cozinham com amor, ou carinho, ou qualquer outro sentimento bom! O Ser-Humano é um bicho egoísta e pessimista e, portanto acredito que as maiorias das comidas devem ter um gosto horrível. E viver de comida industrializada ou orgânica produzida por nós mesmos em momentos felizes está fora de cogitação.
Tenho muita dó da Rose, pois ela guarda tantos segredos com ela que achava que ela iria explodir!

O cara foi para os fundos e voltou com um sanduíche na mão, bem embrulhado num plástico.
– Isso também funciona com sanduíches? – perguntou ele.
Eu não me mexi. Ele me estendeu o sanduíche. George observava com uma  espécie de curiosidade neutra e eu não tinha certeza do que deveria fazer, por isso apenas desembrulhei o sanduíche e dei uma mordida. Era um sanduíche feito em casa de presunto, queijo e mostarda, com pão branco e uma folhinha de alface no meio. Nada mal, na parte da comida. Bom presunto, mostarda comum de uma fábrica competente. Pão ordinário. Quem picou a alface estava cansado. Mas no sanduíche senti um sabor quase berrante. Como se o próprio sanduíche estivesse gritando comigo, gritando “me ame, me ame!”, bem alto. O cara no balcão me observava atentamente.
– Ah – eu disse.
– Foi minha namorada quem fez – disse ele.
– Sua namorada prepara seus sanduíches? – perguntou George.
– Ela gosta – disse o cara.
– Não sei o que dizer. Deixei o sanduíche de lado.
– O quê? – perguntou o cara.
– O sanduíche quer que você o ame – eu disse.


O que não torna esse livro perfeito é que ele PRECISA de uma continuação! Não pode acabar desse jeito! Ou será que essa era a intenção da autora para que nos sentíssemos um pouco como a protagonista?
Mas leiam!  Degustem esse lindo livro!!! O Sabor é inesquecível ;)





0 comentários: