Mulheres que escolhem demais

08:00 Lu 0 Commentários


Título Original: Marry him
Autor: Lori Gottlieb
Tradutor: Ebréia de Castro Alves Botelho Guimarães
ISBN: 978-85-8163-410-4
Gênero: Autajuda
Páginas: 288
Editora: Novo Conceito
Nota: 5/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino






Sinopse:Todo mundo tem uma amiga que vive procurando defeito em todos os pretendentes. Um é alto demais, o outro é baixinho; um terceiro não é suficientemente bem-sucedido. E tem ainda aquele que é perfeito demais... A expectativa por uma boa companhia é tão grande que a cabeça da mulher se enche de dúvidas: “Ele é a pessoa certa para mim? Ele é O CARA!? Será que existe Príncipe Encantado? Pior ainda: será que fiquei esperando tanto que não reparei quando ele passou por mim?”. Talvez o homem que a sua amiga – ou você, mesmo que não admita – tanto espera não exista. E talvez você nunca tenha pensado nisso. Ninguém é perfeito. Todos têm defeitos — sim, inclusive as mulheres! Mas são justamente as pequenas diferenças que deixam tudo mais interessante.



Comentários: Olá, meus queridos, tudo bem?



Minha querida prima Milena me deu este livro para resenhar porque disse que era “a minha cara”. Oi? Desde quando eu escolho demais? Eu só não posso ficar com o primeiro Zé Mané que resolver me paquerar, né? As minhas 123 exigências do checklist são completamente fundamentadas, afinal, eu sou boa o suficiente pra conseguir alguém nada menos do que melhor do que eu. Ainda não encontrei a pessoa certa, mas tem muito tempo para ela aparecer.
Ok, então comecei a ler o livro. A autora tem 41 anos, solteira, sempre achou que suas exigências do checklist eram fundamentadas e PASMEN continuava solteira, enquanto suas amigas casavam com caras “razoáveis”.
Sim, enxerguei milhões de características que ela fala no livro em mim, me encaixei em várias situações. Morri de rir com a descrição do speed dating que ela foi, até desisti de participar de um (sim, estava cogitando ir pra ver como é e se daria algum resultado).
O livro todo conta causos de histórias de amor que poderiam dar certo se a moça não resolvesse implicar com os defeitos objetivos de seus paqueras. Ela enfatiza que devemos olhar para nossos paqueras e analisar apenas as características subjetivas, que são as que vão contar mesmo na hora do relacionamento virar casamento. Por exemplo, qual o grau de importância do cara ter olho azul, se ele é legal, divertido, fiel, bom pai?
As mulheres maximizadoras iriam dizer: importância não tem, mas eu não conheci ainda um cara legal, divertido, fiel e bom pai que também tem olho azul, então vou continuar procurando porque eu mereço. Para mim não basta que ele tenha várias características subjetivas que eu goste, ele tem que ter todos os itens do meu checklist. (E aparentemente eu sou uma maximizadora, razão por ainda estar solteira.)
O alerta que ela dá é que não se trata de se contentar com um cara com menos exigências ticadas no seu checklist, mas ser razoável ao selecionar essas exigências, porque quanto mais velha você fica, mas você cai em valor no mercado amoroso e mais difícil encontrar um par para você.
Não vou contar nenhuma história aqui para não dar spoiler, já que o livro é uma delícia de ler. Se você está solteira, recomendo e, se não está, recomendo também porque com certeza tem alguma amiga solteira e vai poder dar nela todas as broncas que a autora dá com relação às dispensas de paqueras por motivos que, no livro, ela faz parecer ridículos, apesar de para você, na hora de dispensar o cara, eles serem perfeitamente plausíveis!


Um beijão e até a próxima!









0 comentários: