Pausa (Slammed 2)

07:30 Érica Guimarães 2 Commentários


Título Original: Slammed: Point Of Retreat
Autor: Colleen Hoover
Tradutor: Priscila Catão
ISBN: 978-85-01-40189-2
Gênero: Ficção Americana
Páginas: 301
Editora: Galera Record
Nota: 5/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino









Sinopse: O amor pode não ser o bastante. Depois de testado por tragédias, proibições e desencontros, o relacionamento de Layken e Will enfrenta novos desafios. Talvez a poesia desse casal acabe num verso solitário... Sem direito a rima ou ritmo.

A ex-namorada de Will retorna, arrependida de ter deixado o rapaz. E está disposta a tudo para reconquistá-lo. Insegura, Layken começa a ler novas razões nos comportamentos do namorado. E na insistência para adiar a “primeira vez” de ambos.
Presos em uma ironia cruel do destino, eles precisam descobrir se o que sentem é verdadeiro ou fruto da extraordinária situação que os uniu. Será que é paixão? Ou apenas compaixão?
Layken passa a questionar a base de seu relacionamento com Will. E ele precisa provar seu amor para uma garota que parece não conseguir parar de “esculpir abóboras”.
Mas quando tudo parece resolvido, o casal se depara com um desafio ainda maior – e que talvez mude não só suas vidas, mas também as vidas de todos que dependem deles.




Comentários:

Bonjour Anges!!

Eu estava mais do que ansiosa pra trazer para nossa “Pilha do Anjo” essa leitura. Desde que li Métrica estava aguardando no desespero pela continuação e finalmente ela chegou. Não aguentei e já adquiri o livro na pré-venda, e tendo a Josy como testemunha ocular em menos de 24 horas devorei esse livro. Novamente, ao terminar de ler, fiquei sem palavras, apenas consegui chorar até soluçar. E mais uma vez, só um tempo depois, quando o texto começou a ser absorvido veio a sensação de paz e aquela mudança no mundo surgiu. Sim, minha visão de mundo se ampliou mais um pouco com a continuação de Métrica: Pausa.

Depois do final tocante, em Pausa podemos ver a vida de Layken, Kel, Will e Caulder depois de um ano juntos, como eles estão interagindo nessa nova vida sendo pais de seus irmãos mais novos, se ajudando e convivendo com mais perdas.

Lake se formou na escola, Will está estudando na mesma universidade que ela, alternando os dias para que ambos possam cuidar de Kel e Caulder sem que sobrecarregue nenhum deles. E nesse mundinho familiar, ainda há a chegada de novos vizinhos – Sherry, sua filhinha Kiersten e seu marido David – uma família que se infiltrará sem querer nesse globo de vidro desses jovens.

Tudo estaria perfeito se não fosse o retorno de Vaughn para vida de Will. Ao vê-la como colega de sala na universidade, Will não contava que sua ex-namorada simplesmente se arrependeria de tê-lo largado no momento mais difícil de sua vida e o quisesse de volta, fazendo de tudo para tê-lo. E a partir disso a vida que já não era tão fácil para Lake e Will piora bastante.

Muita coisa então acontece. Eddin e Gavin também têm suas crises como casal. Kel e Caulder conhecem seus primeiros amores em Kiersten e Abby. Sherry acaba adotando os jovens que estão desamparados sem um apoio de um adulto experiente.

E muitas coisas desandam, com o desespero de Will que o leva a se entregar muitas vezes à bebida. As brigas que ganham cada vez mais intensidade pelo talento da Lake em “esculpir abóboras” demais.

Esse mar de sentimentos intensos misturados é tocante. É impossível ler e não se identificar com ao menos uma das situações apresentadas. E é bem nesse momento que a visão de mundo do leitor se amplia em questões como amor, amizade, família e o que realmente importa para ser verdadeiramente feliz.

Uma das coisas mais lindas e tocantes do livro é  um dos últimos presentes que a mãe da Lake deixou para ela e Will. Um vaso repleto de estrelas de origami, onde cada estrela guarda um conselho, uma frase, um trecho de musica, em que os dois devem pegar sempre que precisarem de algum conselho ou apoio na vida como casal. Foi seu jeito de continuar a olhar por sua família mesmo depois de ter partido. E sério, alguns conselhos era de rir, outros de fazer chorar de soluçar.

Esses novos personagens que surgiram foi um acréscimo e tanto para as emoções da leitura. Kiersten é uma garota de personalidade forte, muito madura pra seus 11 anos. Madura a ponto de ajudar com questões amorosas dos adultos (isso particularmente me fez rir muito).

Reece, um amigo de Will que surge do nada é simplesmente detestável. Ninguém vai muito com a cara dele. E no final ele mostrou que não dava a mínima para amizade do Will. Ser nojento. Odeio ele, fato!

Vaughn, como eu já suspeitava desde que li a sinopse, é uma verdadeira vaca. Ter ódio desse ser é pouco. Outro ser nojento nesse livro!!

Sherry, ao contar sua história ganha não só pontos com os personagens no livro, mas os corações dos leitores. Seu jeito meio excêntrico acaba conquistando. E seu apoio a todos é fundamental para o final feliz.

E o drama na parte final do livro foi de cortar o coração. Quando tudo parece finalmente ter sido acertado recaí a desgraça mais uma vez sobre Will e Lake. E sério, por um momento deu muito medo do caminho que o livro tomou. Foi muito tenso e rendeu muitíssimas lágrimas.

Colleen Hoover trabalha com maestria todos os sentimentos e dá uma lição importante sobre viver intensamente cada segundo feliz que nos é dado, nos mostra como a vida é imprevisível e que devemos ser mais flexíveis e adaptáveis. E mais, nos mostra que o amor realmente pode vencer tudo, não só o amor romântico, mas o amor entre irmãos, entre amigos.

Uma reflexão profunda, uma narrativa hipnótica, um mar de sentimentos, risos e lágrimas. Pausa, um livro que todos deveriam ler ao menos uma vez na vida, talvez como forma de “esculpir algumas abóboras”.


2 comentários:

  1. Érica, acho que a maior qualidade desse livro é nos dar lições de vida. O romance é lindo - e eu adoro -, mas a parte mais importante dele é mostrar que o amor tem muitas formas e que não podemos perder tempo para ser feliz. Chorei muito em "Métrica", mas um pouco menos em "Pausa", apesar de ter sentido esse mesmo medo que vc sentiu a certa altura da leitura, onde tudo parecia que ia desabar novamente. Enfim, a autora consegue mexer com nossos sentimentos sem parecer forçada, o que nos deixa apaixonada pela história de Will e Lake. Não vejo a hora de ler o terceiro ;)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você Joana. A série Slammed toca na alma.
    Beijinhos

    ResponderExcluir