Batom Vermelho

07:30 Érica Guimarães 1 Commentários


Autor: Vanessa de Cássia
ISBN: 978-85-63586-89-6
Gênero: Literatura Brasileira, Adulto
Páginas: 450
Editora: Literata
Nota: 4,5/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino

Sinopse: Mel Folk, a encantadora e fogosa mulher dos olhos verdes de serpente, um ar ingênuo e ao mesmo tempo sedutor. Aquela que traz o brilho e a inocência, mas que no fundo, é um furacão de mulher. Mel não tem vergonha de seduzir; não tem medo de ser o centro das atenções.

Não é a “inocente”, ela é a mais perigosa e tentadora das mulheres. Traz em seu olhar o poder de sedução e, em seus lábios, a magia do que conhece. Ela não conhece o amor, conhece apenas o prazer...
Uma história onde o prazer não tem limites, o amor é um jogo cruel e a sedução, uma arma indispensável... Conheça o jeito de uma mulher fatal. A obsessão na arte de seduzir e os lábios ardentes envolvidos em “Batom Vermelho”!
Descubra quão poderosa pode ser essa arma!

Comentários:

Bonjour Anges!

Hoje é dia de leitura nacional aqui na “Pilha do Anjo” e de mais uma leitura extremamente quente. Mas, além disso, uma leitura que também tem uma história envolvendo o autor.


A primeira vez que ouvi falar sobre esse livro foi em um evento literário, onde colegas estavam comentando e fiquei curiosa, afinal nunca havia lido nenhum erótico nacional. Cheguei a adicionar a autora no Facebook, mas ficou por isso mesmo. Então, chegou setembro e a minha diva do erótico, Sylvia Day, visitou nosso país e na noite de autógrafos uma ruiva começou a chamar a atenção e se formou fila para que ela autografasse marcadores de seu livro. E eu, como fã surtada fiquei muito brava, fiquei pensando “quem ela pensa que é para roubar a noite da minha diva?” e não me aproximei dela naquele dia.

Em outubro foi lançamento do livro “Quem Sou Eu, afinal?” do meu amado Ricardo Valverde e durante essa tarde a Vanessa de Cássia foi prestigia-lo e minha curiosidade falou mais alto e puxei conversa com ela. Resultado: acabei encomendando “Batom Vermelho” e ela gentilmente disse que também me traria o “Entre Amores Cruzados” seu primeiro livro para que eu conhecesse seu trabalho.

Em novembro, durante o lançamento e relançamento do Mauricio Gomyde, voltamos a nos encontrar. Ela sempre estilosa e super simpática ficou conversando por muito tempo comigo e com a Eliane Quintella (autora de Pacto Secreto) e me entregou os dois livros. Confesso que minha mão coçava para começar a lê-los o mais rápido possível.

Mas, Murphy adora atrapalhar e com a correria e problemas do dia-a-dia, só em fevereiro, estando em casa obrigada por ter conseguido uma bela luxação no tornozelo direito por ter caído na escada no trabalho – o que resultou em 14 dias de atestado médico – que consigo pegar o livro que tanto me chamou a atenção.

Antes de falar do que realmente importa – a história – eu preciso falar de alguns detalhes que já me atraíram antes de começar a leitura. O primeiro deles foi essa capa maravilhosa. Muitos se perguntam se é a própria autora, mas não, a modelo apenas lembra sua fisionomia e o fato de ser ruiva colabora com essa impressão.

A segunda coisa que chama muito a atenção é a diagramação e as paginas iniciais e finais onde é possível ver um plano de fundo de um lençol amarrotado e algumas imagens dos lábios e da capa, o que é muito instigante. E entre os capítulos, há uma pagina negra com a imagem de um espelho vitoriano belíssimo, onde sempre há uma frase de efeito que se encaixa com o texto que vem a seguir. E a marquinha de beijo nos cortes de cena ficou uma graça.

Após um Prefácio maravilhoso de Vanessa Bosso, que conta um pouco da história da origem do batom o texto se inicia mostrando a infância difícil da Mel. Com oito anos ela apanhava de um pai terrível e era vitima do egoísmo e negligencia de uma mãe que passava mais tempo bêbada do que sóbria e como essa experiência afastou-a de sonhos românticos e a deixou com um desejo de liberdade incondicional.

Essa experiência na infância influenciou totalmente sua vida adulta, com seus 24 anos Mel é uma mulher decidida, forte uma guerreira de beleza sem igual. E assim, acompanhamos Mel em seu primeiro dia de trabalho como recepcionista no Plaza The Office, um emprego que conseguiu graças a um contato de sua prima – não tão querida – Mariana. E esse dia começa a mudar completamente a vida de Mel.

Logo de cara ela já conhece e é cantada pelo seu gerente Caio, o que já lhe garante muita diversão, afinal, com todos os outros funcionários ele é um chato e resmungão, mas com a bela ruiva só falta lamber o chão por onde pisa.

Ao seu lado na recepção fica a doce Carla, uma jovem de 22 anos que acabou por se tornar uma boa amiga, além de colega de trabalho. E uma cumplice. Graças ao seu lado super comunicativo Mel pode conhecer rapidamente a rotina da empresa e também saber a identidade do homem pelo qual praticamente ficou de quatro ao ver entrando no prédio.

Sim, logo no primeiro dia, quando Mel coloca os olhos pela primeira vez em Richard sente um desejo incontrolável de fazê-lo ser dela. Totalmente fisgada por ele, Mel fica um pouco – bem pouco na verdade – emburrada ao saber que ele já tinha uma noiva (que é odiada por todos os funcionários que trabalham no prédio). Mas seu choque mesmo é descobrir que essa noiva era sua prima Mariana e isso ao invés de tirar seu fascínio a deixou ainda mais desejosa de poder ter ao menos uma oportunidade com o belo arquiteto.

E com a Carla, Thiago também entrou na vida de Mel também. Thiago é gerente de uma padaria próximo ao Plaza The Office e noivo de Carla. E esse casal tornou os dias de Mel muito mais prazerosos.

E, é graças a esse casal extremamente fofo que Mel acabou por conhecer Juan. Primo de Thiago, Juan Vasco, ou apenas Vasco, é um dentista muito sedutor, carismático, quente, porem muito romântico. E logo de cara, nesse primeiro encontro durante a festa de aniversário de Juan é inegável para Mel a conexão e a tensão sexual entre os dois. E quando eles se entregam a essa paixão ardente o apartamento pega fogo.

A partir dessa noite, os dois começam a se encontrar frequentemente, eles se envolvem cada vez mais e isso começa a mexer com Mel. Ela nunca namorou, nunca se deixou envolver e seu instinto foi tentar afastar o jovem dentista, mas Juan, que também ficou mais do que envolvido pela ruiva não desistiu e com insistência conseguiu vencer a barreira e iniciar um namoro.

Esse relacionamento fez Mel se abrir e a transformou de uma pessoa fria, amargurada em alguém vibrante, viva, feliz. A evolução dela é incrível de acompanhar e, é claro, isso desperta a inveja e ira de algumas pessoas.

Esse livro é fogo, literalmente. A narrativa me surpreendeu muito. Não desmerecendo nossos autores, mas esse livro tem um ar de estrangeiro. Narrado em primeira pessoa, Mel, com sua personalidade vibrante envolve o leitor desde a primeira palavra. E sério, a Mel é uma personagem inesquecível!

Eu simplesmente adorei quando praticamente no meio do livro o que era narrado em primeira pessoa apenas pela Mel começou a ser intercalado com o ponto de vista do Richard. Uma sacada ótima, onde podemos acompanhar mais de perto o jogo de sedução e ver quando um homem abre mão de muitos de seus princípios para ir atrás de seu desejo e realizar sua obsessão.

E, falando em obsessões provocadas (nem sempre por querer) pela Mel, há duas que acabam definindo todo o rumo do final da trama. Amores e desejos não correspondidos que acabam por tentar destruir tudo o que é belo para os que são alvos desse sentimento negativo. E por conta disso, há uma reviravolta gigantesca, onde a vida de todos é colocada em xeque em diversas situações criando um suspense quase dramático muitíssimo interessante.

Uma das coisas que mais chamam a atenção no livro é o fato da Mel realmente amar o Juan, é nítido a adoração dela por ele quando os dois estão juntos. E mesmo assim, a Mel se derrete de desejo pelo Richard. A autora consegue mostrar que mesmo amando loucamente uma pessoa podemos ter tesão por outra, algo totalmente físico, sem o coração envolvido. Mas cabe a cada um escolher o que faz com seu próprio desejo. Acho esse ponto interessante pois faz o leitor pensar no que vale mais: um caso pra aplacar o desejo ou o amor pra uma vida inteira.

Uma das cenas que mais curti foi uma conversa no elevador entre Mel e outra ruiva, Verônica Bark. Pra quem não sabe, Verônica é a protagonista de "Entre Amores Cruzados", primeiro livro da autora. Essa interação entre as duas personagens ficou muito legal.

Não sei se cheguei a comentar sobre a marca registrada das conquistas da Mel, mas ela sempre marcava suas "vítimas" amorosas com batom vermelho. Cada batom possuía apenas um amante marcado, fazia parte da magia da caça. E, falo isso porque uma outra cena que delirei ao ler foi uma conversa entre a Carla e a Mel, onde nossa protagonista ruiva fala de cada batom dedicado a um de seus amores. Sério, veja só esses nomes para os batons: Vermelho Tentação, Vermelho Sensação, Vermelho Carinho, Vermelho Fixação, Vermelho Diva, Vermelho Magia, Vermelho Sonhador, Vermelho Sedução, Vermelho Paixão e Vermelho Proibido. Nomes excitantes e instigantes por si só, não acham? E cada um guarda sua própria historia.

O final do livro foi um ótimo desenrolar e deixou aquele gostinho de quero mais. Acompanhar as histórias dessa ruiva fogosa é divertido. Fora que as lições de vida dela são preciosas.

“Batom Vermelho” é um livro delicioso. Um romance extremamente hot, uma historia envolvente, libertadora. Impossível lê-lo e não sentir vontade de passar um belo batom vermelho nos lábios e cultuar a feminilidade que ele evoca. Um dos melhores livros nacionais que li nos últimos dias. Super recomendo!


Um comentário:

  1. Sua linda!! Obrigada sempre por todo carinho! Sua resenha foi maravilhosa! Arrancou muitos suspiros de felicidades, e deixou meus olhinhos marejados pela imensa alegria!

    Obrigada mil vezes por acreditar nessa ruiva!! <3


    bjão no coração!

    Vanessa de Cássia

    ResponderExcluir