Liberta-Me

07:30 Érica Guimarães 0 Commentários


Título Original: Unravel Me
Autor: Tahereh Mafi
Tradutor: Bárbara Menezes de Azevedo Belamoglie
ISBN: 978-85-8163-235-3
Gênero: Ficção Norte-Americana
Páginas: 444
Editora: Novo Conceito
Nota: 4,5/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino






Sinopse: ELA FUGIU DO RESTABELECIMENTO, EVITOU SER TRANSFORMADA EM ARMA LETAL E PARECE ESTAR LIVRE PARA AMAR ADAM. MAS JULIETTE NUNCA SE LIVRARÁ DE SEU DOM... OU DE WARNER.
 No primeiro livro da trilogia de Tahereh Mafi – ESTILHAÇA-ME – Juliette, a heroína que cativa com sua força e autenticidade, descobre o seu terrível dom e tenta escapar da distopia – o poder do Restabelecimento – que tem em Warner um de seus lideres.Em LIBERTA-ME, sob os cuidados do ponto Ômega, o quartel da resistência, ela se prepara para o confronto iminente contra os soldados do Restabelecimento. Mas sua batalha pessoal será maior que qualquer enfrentamento militar. Agora ela pode se dedicar ao amor que sente por Adam, no entanto, como conviver com esta fascinação que a atrai para Warner?Liberta-me nos convida a lutar, com Juliette e Adam, por um mundo melhor, por maior controle pessoal e pelo triunfo do amor verdadeiro, mas, ao mesmo tempo, o amor proscrito de Warner pela heroína fecha os vértices de um triângulo amoroso que certamente dividirá opiniões. A trilogia de Mafi – que angaria fãs pelo mundo todo – tem, neste título, uma autora mais madura, preocupada com o interesse de seus seguidores e que continua inflamando a curiosidade de leitores apaixonados.



Comentários:

Bonjour Anges!!

Hoje, mais uma vez, voltamos a “Pilha do Anjo” original, com livros dos nossos parceiros. Como agora a moda é trilogia, aqui estamos nós com o segundo livro da primeira trilogia distópica da Novo Conceito: Estilhaça-me.


Depois de todos os acontecimentos de Estilhaça-me eu fiquei meio apreensiva com essa continuação. Afinal, não é muito difícil as séries desandarem e apenas os primeiros volumes serem bons. Além disso, antes de Liberta-me sair, foi lançado um conto intermediário, mostrando alguns fatos ocorridos após o final sob a perspectiva do Warner e dando uma prévia sobre algumas coisas que viriam a acontecer.

Sendo assim, eu estava com medo de me decepcionar, mas ao iniciar a leitura vi que sofri por antecipação à toa. Nessa segunda parte desta trilogia, fiquei com o coração na mão da primeira à última página. Tudo pelo qual me apaixonei em Estilhaça-me está ainda mais intenso em Liberta-me. O segundo volume tem tudo à mais: mais ação, mais medos, mais revelações... E claro, muito mais romance. As cenas quentes de Estilhaça-me vieram pegando fogo em Liberta-me...

Desta vez, Juliette precisa se adaptar ao novo ritmo do Ponto Ômega. Ao lado de Kenji, Adam, Castle e os outros habilidosos, ela precisará enfrentar a guerra iminente contra a fúria de O Restabelecimento. Ninguém será poupado, será necessária muita coragem da parte de Juliette para que as coisas deem certo. Nesse ponto preciso dizer, aquele clima que citei na outra resenha, sobre a sensação de estar lendo um HQ de X-Men, está ainda mais forte.

O ritmo dos acontecimentos é alucinante, principalmente por conta de todo o emocional dos personagens. Juliette, depois de anos isolada do mundo agora tem dificuldades em conviver com outras pessoas, e isso traz uma tensão extra ao Ponto Ômega.

Em Liberta-me, também o triângulo amoroso proposto no primeiro livro entrará em vigor de um jeito simplesmente delicioso. Eu particularmente sou meio suspeita em falar sobre isso, já que não sou fã do Adam, a quem acho extremamente irritante. E confesso, surtei loucamente com o Warner, se antes eu já gostava dele, agora tenho verdadeira adoração por esse personagem que é um complexo ambulante.


Uma coisa que me chamou atenção é que a autora quis agradar aos seus leitores. Ela sabia o que estava escrevendo como se conhecesse o gosto do público. As revelações que amarram a história simplesmente fazem tudo ficar uma bagunça, tornando o final ainda mais imprevisível, fugindo de muita coisa que seria previsível.

Gosto muito do jeito com que a Tahereh trabalha com as personalidades de todos os personagens, isso enriquece ainda mais a história e deixa a trama ainda mais intrigante. Mas, alguns personagens são bons demais, tão bons que simplesmente não consigo gostar deles, e essa birra me faz desconfiar de boa parte da trama. Às vezes tenho a impressão de que nem tudo é o que parece nesse livro.

Quanto aos sobre-humanos secundários eu diria que me apaixonei por cada um deles. Todos têm participações dignas, cenas intensas e desfechos surpreendentes. Eu bem queria que a autora trabalhasse um pouco mais a história deles. Seria bem legal conhece-los melhor.

E o final... Nem feliz ou infeliz, deixou uma verdadeira bagunça e muitas teorias. Estou ansiando pela sequência, desejando-o desesperadamente. Tahereh Mafi quase me matou de susto!!!! E você também vai sofrer com Liberta-me, então se prepare.

Ódio. Medo. Paixão. Êxtase. Culpa. Tudo misturado dentro de uma narrativa de tirar o fôlego, dentro de um universo amedrontador, com uma protagonista tão intensa capaz de te fazer gritar ou perder a fala.


0 comentários: