Estilhaça-me

08:30 Érica Guimarães 0 Commentários


Título Original: Shatter Me
Autor: Tahereh Mafi
Tradutor: Robson Falchetti Peixoto
ISBN: 978-85-8163-052-6
Gênero: Ficção Norte-Americana
Páginas: 304
Editora: Novo Conceito
Nota: 4/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino






Sinopse: Ninguém sabe por que o toque de Juliette é letal, mas O Restabelecimento tem planos para ela. Planos para usá-la como arma.

No entanto, Juliette tem seus próprios planos.
Após uma vida inteira sem liberdade, ela descobriu uma força para lutar contra todos pela primeira vez – e para obter um futuro com o garoto que ela pensou que fosse perder para sempre.

Comentários:

Bonjour Anges!!

E nossa parceira Novo Conceito também se rendeu à onda de distopias, e já que nossa “Pilha do Anjo” está repleta de livros desse gênero, não poderíamos deixar de conferir mais um mundo destruído tentando se reerguer sob uma politica opressora. 

Juliette tem dezessete anos e pouco conhece do mundo, pouco conhece sobre si mesma e sua humanidade pode ser considerada meio duvidosa, afinal, um ser humano criado longe do calor humano pode mesmo não ser um monstro?

No momento ela está há quase um ano presa em uma cela dentro de uma clinica psiquiátrica. Há três anos não tem mais noticias dos pais que a abominam. E isso tudo porque o toque da pele da Juliette tem o poder de sugar a energia dos seres vivos, levando-os à morte.

Sem ver nenhuma outra pessoa, Juliette se assombra com o dia em que um garoto é colocado em sua cela. E o choque maior foi ver que não é um garoto qualquer, mas seu primeiro amor, a quem olhava à distancia na época da escola. E seu pensamento maior era a curiosidade de saber o que ele havia aprontado para ser largado para mofar na cela junto com ela.

Entre a magoa de ver que ele não se lembrava dela e a pequena alegria de não estar mais sozinha, Juliette não estava preparada para a reviravolta que a fez acabar dentro do quartel do exercito, encarando o jovem líder Warner e seus planos de usa-la como a arma mais letal.

Eu já não sou fã de falar spoilers, e quando o livro é uma distopia isso é ainda pior, pois um detalhe pode estragar o historia toda. Estilhaça-me tem um atrativo grande que é a mistura de distopia com fantasia. Nem tudo é o que parece ser e isso deixa uma tensão de suspense na narrativa.

A protagonista é um dilema ambulante, sempre colocando seus pensamentos da maneira desordenada como eles surgem, e isso deixa a historia ainda mais interessante, pois as palavras taxadas (cortadas com uma linha no meio) sempre fazem rir e saber exatamente o que está se passando com ela.

Para estabelecer o mundo distópico do livro, a autora foi pelo caminho mais confortável e simples, o de que os próprios humanos destruíram tudo, o que não deixa de fazer sentido. O Restabelecimento vem para dar a ordem que se perdeu quando o mundo entrou em colapso, eles são os inimigos por assim dizer. A descrição do que aconteceu é pela visão da Juliette e como ela narra com o tom mais dramático, tudo está muito feio e destruído. Nada é poupado por ela, então sabemos que as pessoas passam fome, não tem auxílio medico, os livros e a escrita estão sendo abolidos e assim por diante. É uma verdade crua, mas que como disse, é compreensível e próximo da realidade.

Em determinado momento da historia eu jurava que estava lendo um HQ de X-Men. Sem mentira. Não que isso seja ruim, mas acho que esse ponto ficou um pouquinho forçado.

Gostei muito da forma como os personagens se desenvolveram. Juliette cresce muito durante o livro, mas preciso fazer uma menção especial para outros três personagens.

Adam, o garoto que foi preso com ela na cela na clinica psiquiátrica, ela é um bom rapaz. Doce, meigo e concentrado em seu trabalho. O romance entre ele e Juliette é gostoso de acompanhar, mas ele é ‘mocinho’ demais e em alguns momentos ele fica meio meloso.

Warner, o tirano líder do setor onde Juliette está presa, com apenas 19 anos, e faz parte dO Restabelecimento, lindo de morrer e vilão. E eu, simplesmente não resisti, e me apaixonei, afinal ele não é um vilão convencional e sim daqueles forçados pela situação. Ele é o completo oposto de Adam. E seu evidente interesse em Juliette me deixou desejosa por um triangulo amoroso.

Kenji, um soldado do exercito que não é o que parece. Esse japonês doido foi outro que me cativou completamente e fez a leitura valer cada segundo. Ele tem uma importância grande para a trama, apesar de algumas vezes me decepcionar com algumas ações.

Estilhaça-me é uma boa introdução para essa trilogia distópica, deixando muitas brechas para atiçar a curiosidade sobre como terminará essa história. Há muita coisa pra acontecer e muita coisa a se explicar.

Uma distopia mais suave que as atuais, um romance adolescente surgindo em meio a loucura de uma ditadura. Estilhaça-me é uma leitura rápida e envolvente. Vale a pena conferir.


0 comentários: