As Regras da Sedução

08:30 Érica Guimarães 0 Commentários


Título Original: The Rules Of Seduction
Autor: Madeline Hunter
Tradutor: Teresa Carneiro
ISBN: 978-85-8041-141-6
Gênero: Ficção Americana
Páginas: 264
Editora: Arqueiro
Nota: 4,5/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino





Sinopse: Lorde Hayden Rothwell chega à casa de Alexia Welbourne sem aviso e sem ser convidado – um homem poderoso e sedutor, movido por interesses obscuros. Sua visita anuncia a ruína financeira da família de Alexia e o fim das esperanças da jovem de um dia conseguir um bom casamento.

Para se sustentar, a moça recebe a proposta de ser dama de companhia de Lady Henriquetta Wallingford e preceptora de sua filha. O problema é que a oferta vem do sobrinho de Henriquetta, ninguém menos que Lorde Hayden.
Morando na casa da tia de Rothwell, Alexia descobre que a proximidade com o homem que destruiu sua família pode ser perigosamente irresistível. Nem gesto impensado, ela se entrega a ele, e ambos se veem obrigados a casar.
O que Alexia não sabe é que os atos aparentemente arrogantes de seu belo e sensual marido são motivados por uma dívida de honra que pode leva-lo a sacrificar tudo.
Com tantas mágoas e segredos entre eles, o casal tem tudo para se manter afastado. Mas Hayden é um homem apaixonante e Alexia, a tentação que o faz perder a cabeça. Morando sob o mesmo teto, eles acabam se aproximando e, juntos, vão descobrir um jogo de sedução em que cada um faz as próprias regras.




Comentários:

Bonjour Anges!!

Hoje é dia de romance histórico na nossa “Pilha do Anjo”. Você deve estar pensando: “Nossa, mas já não basta os romances de banca que tem todo sábado aqui no blog?”. E a resposta é... Não! Sério, tem muito titulo legal dentro desse gênero e uma editora que tá investindo muito nisso é a Arqueiro. Pra ajudar, em setembro foi meu aniversario, e o livro de hoje foi presente de um amigo querido. (Obrigada de novo Fê!!!)
Bem, Alexia Welbourne não foi muito agraciada em sua vida. Cedo perdeu a mãe e o irmão e alguns anos mais tarde seu pai acabou falindo antes de morrer. Assim, Alexia acabou se tornando a prima pobre dos Longworth, indo morar com eles por não ter mais ninguém no mundo.

Por sorte, seu primo Benjamin, chefe dessa família a recebeu muito bem. Bem até demais, pois acabou por ganhar o coração da jovem. Mas, Murphy não gostava muito de Alexia, e ao ir lutar na Grécia, Ben acabou caindo do navio e morrendo.

Quando Timothy, irmão mais novo de Ben, assumiu a liderança da família, Alexia viu seu mundo ruir mais um pouco, pois, por mais que ela ainda tivesse um teto e o carinho das primas, Tim não se preocupava em inseri-la realmente na família.

Mas, mesmo com todas essas dificuldades, Alexia era grata por ter essa família e o pouco que recebia dela. Com quase 26 anos, sem ter sido apresentada à sociedade e sem dinheiro, suas esperanças de casar eram praticamente nulas e isso significava que seu futuro era completamente incerto.

E por isso bateu o maior desespero quando Lorde Hayden Rothwell entrou na casa deles. O presságio de que algo ruim se abateria à sua família fez com que Alexia sentisse que seu chão, não tão estável, sumisse de vez.

Por sua vez, Hayden entrou na casa dos Longworth com o peso do mundo nos ombros. Descobrir que Tim cometia crimes no banco e tentar salvá-lo da forca era o mínimo que poderia fazer em honra à memoria de Ben, seu melhor amigo. Ver seus irmãos indo à falência só se somava ao peso da duvida sobre se poderia ou não ter salvado a vida do amigo.

Tentando não ser um peso para sua família, Alexia começou a pensar em opções para se sustentar enquanto vive sozinha. Dentre essas opções a de se tornar preceptora de alguma jovem prestes a se apresentar à sociedade é a melhor, seguida de fazer chapéus (seu maior talento) e em ultima instancia, se o desespero realmente a sufocasse até se tornar cortesã era uma opção melhor do que morrer de fome.

Quando Lorde Hayden ofereceu o cargo de dama de companhia para sua tia e preceptora para sua prima, Alexia hesitou um pouco, afinal essas mulheres se instalariam na casa de onde sua família acabou de ser expulsa, mas a necessidade falou mais alto e de prima pobre ela passou a ser mera empregada.

Só que nem Alexia nem Hayden contavam que esse cargo faria com que a convivência dos dois fosse tão grande, a ponto de despertar o desejo de quem se dizia nutrir um ódio profundo. E num momento de paixão roubada o rumo dessas duas pessoas se vê totalmente modificado, culminando em um casamento.

Madeline Hunter tem uma narrativa envolvente e suave, me surpreendi por não ter o toque levemente maçante que alguns romances históricos têm. A autora também trabalha os sentimentos e os pensamentos de seus personagens com sensibilidade e profundidade admiráveis para um livro que pode ser considerado curto.

Seus personagens, mesmo os secundários, são dotados de um carisma e personalidades bem fortes e marcantes, que faz com que acabemos por imaginar uma historia solo para cada um deles.

A parte hot da história se encaixa tão bem no contexto e nos sentimentos dos personagens, é algo tão natural e poético e não apenas trechos para agradar as leitoras, mas são partes importantes da evolução dos personagens.

O final, ao menos pra mim, foi previsível, mas não ruim. A autora trabalhou o clichê com maestria tornando o livro um romance delicioso de se acompanhar. Madeline Hunter também trabalhou a sociedade da época de forma que fosse facilmente criado na imaginação, não fugindo das regras da época em questão, mas inserindo-as de modo que não parecesse um mundo à parte, mas sim algo mais próximo de nossa modernidade.

O que mais me agradou nessa leitura foi o fato de não ser um amor à primeira vista. Foi sim um desejo à primeira vista, mas o amor, o sentimento, demorou MUITO mais para aparecer, o que tornou a situação toda ainda mais verossímil.

“As Regras da Sedução” é um livro lindo, romântico e cheio de superações e descobertas, com um romance conturbado pelos segredos e dívidas de honra e um final de fazer qualquer romântico suspirar feliz.


0 comentários: