As Lembranças de Alice

08:30 Milena Cherubim 1 Commentários

Título Original: What Alice Forgot
Autor: Liane Moriaty
Tradutor: Alice Klesck
ISBN: 978-85-8044-819-1
Gênero: Literatura Australiana
Páginas: 376
Editora: Leya
Nota: 4/5
Estante: Skoob

Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino




Sinopse:Alice tem 29 anos, é apaixonada pelo marido, Nick, e está grávida de 14 semanas do seu primeiro filho. Ao menos é isso tudo o que ela se lembra. Imagine sua surpresa ao ser informada – quando acorda após um incidente em que bateu a cabeça – de que é mãe de três crianças, está com relações cortadas com a sua irmã e passa por um divórcio conturbado, às vésperas de completar 40 anos! A queda apagou a memória da última década de Alice. Agora ela terá que construir seu futuro apagando os erros de um passado que sequer lembra de ter existido. Poderá uma amnésia se tornar o melhor acontecimento em sua vida, nos últimos dez anos?

Comentários:

Hi Angels!
O que 10 anos podem fazer com uma pessoa? Bom, quando eu penso que estou prestes a completar 33 anos e aos 23 eu já tinha uma filha com 7 anos, estava solteira há tempos e não tinha perspectiva de futuro. É... eu não gostaria de perder minha memória e voltar aquela vidinha sem livros, sem amigos... só trabalho, trabalho e trabalho.

Alice prestes a completar 40 anos e bate a cabeça perdendo seus 10 anos... a única diferença entre eu e Alice é que ela achava que estava em 1998, ela estava esperando a Uvinha, tinha um casamento perfeito... só que em 2008, Alice já tinha três filhos e se divorciando de seu marido Nick. Imagina a cena na cabeça dessa mulher.
Jamais eu gostaria de estar nesse papel. Perder minhas memórias, descobrir que o homem que amo, não me suporta mais. Eu sofri com a narrativa de Liane. No momento em que eu estava me empolgando para saber mais sobre a vida de Alice, vinha a lição de casa de Elizabeth, a Libby irmã de Alice, para seu terapeuta. Esse é outro ponto que me deixou muito desconfortável na história, infertilidade. E se não bastasse isso ainda tinha a Frannie, a avó postiça de Alice escrevendo em seu blog da casa de repouso falando sobre eutanásia... é só conversa boa!!!!
O legal de Moriarty é que ela consegue prender a sua atenção na leitura por horas e você nem percebe. Esse livro veio de parceria pela Editora LeYa e eu o li em e-book. Agora escrevendo essa resenha dia 27 às 6h00 você deve imaginar a minha dor de cabeça por causa da claridade do micro, sim eu leio no micro hihi, mas não reclamo de maneira nenhuma. Alice é uma leitura gostosa e que te faz pensar “e se”. E se acontecesse comigo e eu esquecesse que tive meus filhos? E se eu esquecesse que amava o homem com que me casei. E se eu descobrisse que estava saindo com um cara que não era meu marido. E se eu, que sou apaixonada por crianças, descobrisse que não posso engravidar o que eu faria? E se eu visse minha avó falando sobre eutanásia e como ela queria decidir como morrer, qual seria a minha reação?
Na pele de Alice eu com certeza iria enlouquecer. Choraria horas a fio. Que mãe eu seria se esquecesse de meus filhos? Será que eu faria o que ela fez com relação ao seu ex-marido Nick? Será que suportaria a indiferença, o rancor, a decepção, o abandono?
E se eu fosse a Libby? Uma mulher com mais de 40 tentando desesperadamente ser mãe, dia após dia tentando fertilizar meus óvulos na inútil tentativa de ser mãe? Chegar ao ponto de pegar uma criança e sair andando pela rua? Não conversar com meu marido sobre adoção? Se eu quero ser mãe, e não posso ter os meus. Porque não amar os que são rejeitados? Ou melhor... abandonados? Rejeitado é uma palavra forte...
Como eu seria na pele da Frannie que vivi anos após anos sozinha, sem família e nem filhos, do nada ganhar uma filha e duas netas? Ficar velha e ir para um asilo e pensar em me matar? Por não querer morrer como me foi previsto?
Já é difícil ser eu mesma e me colocar nas situações acima... é impensável. Mas o bacana é que os acontecimentos que eu citei são tão ricamente explorado que você fica “mais um capítulo e já vou dormir” e quando vê... já é manhã e você nem dormir, dormiu. Mas se sente muito bem em terminar a história de Alice e ver como tudo acabou. Se acabou bem?
Não sei dizer ao certo. O que seria o final perfeito para você? Confesso que torci para algumas situações e quando chegou ao final a única coisa que me acometeu foram lágrimas. Sim... chorei. Alice me emocionou não pelo final, mas sim pelo enredo total. Te faz pensar que a vida é tão curta que se você ficar se apegando ao passado você não vive.
Picuinhas, tristezas, discussões sempre vão acontecer em sua vida. Contudo como você irá reverter isso ao seu favor... bem, esse é o segredo que todos procuramos. Ser feliz e amar é meu lema. Ser fiel a suas convicções, lembrando-se que eu não sei de tudo. Estou aqui para aprender e aprendo a cada dia, com todas as situações infligidas a mim. E isso eu agradeço imensamente. Coisas boas ou ruins sempre vão acontecer, basta saber o que você quer pra sua vida, como aconteceu com Alice.
Falei demais né? Bem, mas é isso. Espero que tenham gostado. As Lembranças de Alice é uma leitura muito intrigante, peculiar e deliciosa. Super indico a leitura!



Um comentário:

  1. Gostosa a sua resenha, me senti envolvida na trama de Alice. Valeu pela dica.

    ResponderExcluir