Sweet Tooth – Depois do Apocalipse Vol.1: Saindo da Mata

08:30 Felipe Gugelmin 0 Commentários

Título Original: Sweeth Tooth – Out of the Woods
Autor: Jeff Lemire
Tradutor: Érico Assis
Gênero: Ficção/Adulto
Páginas: 132
Editora: Panini
Nota: 4/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva/Cultura/Submarino


Sinopse:  Há aproximadamente uma década, uma doença conhecida como “flagelo” destruiu a humanidade, reduzindo ao caos toda a civilização. Com o fim dos meios de comunicação e de instituições como o governo e o exército, o mundo volta a ser governado com base na lei da selva, que institui que somente os mais fortes (ou mais espertos) conseguem sobreviver.  Nesse cenário, somos introduzidos a Gus, uma criança híbrida que possui chifres de alce que faz parte de uma espécie aparentemente imune à nova ameaça. Após viver seus primeiros 9 anos junto a seu pai em uma cabana isolada, cabe ao jovem sobreviver sozinho após a morte da única pessoa que ele conheceu em toda sua vida. Tarefa difícil, especialmente em um mundo no qual criaturas como ele valem uma verdadeira fortuna.

Comentários:

Oi leitores do Memories, meu nome é Felipe e essa é minha estréia por aqui. Falarei sobre, HQ e Mangas. Sintam-se a vontade para comentar e conversar comigo.


Ao menos em um primeiro momento, Sweet Tooth – Depois do Apocalipse Vol. 1: Saindo da Mata parece uma típica história de zumbis. Essa impressão é reforçada pelo fato não somente de o mundo ter caído vítima de uma doença misteriosa, mas também porque os poucos humanos que restam se preocupam mais em batalhar entre si e sobreviver do que em recuperar a ordem e buscar uma saída para a situação de maneira racional.

Cabe justamente a Gus, um dos personagens principais, quebrar essa impressão. A partir do momento que o protagonista da história nos é apresentado, começam a surgir questões que só vão ser respondidas aos poucos durante as próximas edições: o que aconteceu para a humanidade chegar a esse ponto? Por que as crianças nascidas após a calamidade possuem características animais? E quais as verdadeiras intenções de Jeppard, homem misterioso que toma para si a responsabilidade de cuidar do jovem?

Jeff Lemire, roteirista e desenhista do quadrinho, prefere alimentar essas dúvidas sem deixar que o leitor tenha acesso fácil a todas essas informações. Mais do que provocar confusão, isso serve como uma isca que torna a leitura de Sweet Tooth cada vez mais envolvente, justamente por nos depararmos com um cenário pouco usual que possui muitas semelhanças com nossa própria realidade.

Como volume inicial, Saindo da Mata serve como uma bela introdução para esse mundo apocalíptico, acabando em um cliffhanger (a beira do abismo) que vai deixa-lo sedento para adquirir a próxima edição. Apesar de a arte do quadrinho poder ser considerada “tosca” por muitos, ela casa muito bem com a história criada por Lemire, contribuindo para passar a sensação de desolação e o clima lúgubre que o roteiro precisa para fluir.

Sweet Tooth definitivamente não é um quadrinho recomendado para menores de 18 anos, algo que se justifica tanto por sua linguagem pesada quanto pela grande dose de violência mostrada em suas páginas. Programado para durar 40 edições, a série atualmente continua a ser publicada nos Estados Unidos, sendo que suas primeiras 15 edições já podem ser encontradas no Brasil em 3 volumes compilados pela Editora Panini — infelizmente, o esquema de distribuição setorizada usado pela empresa pode tornar difícil encontrar a HQ em determinas regiões do país.

Espero que tenham gostado, postarei sempre quinzenalmente aos domingos as minhas impressões sobre os quadrinhos lidos. 


0 comentários: