Sob o Sol Mediterrâneo

08:00 Érica Guimarães 0 Commentários


Título Original: Italian Boss, Housekeeper Mistress
Autor: Kate Hewitt
Tradutor: Celina Romeu
ISBN: 978-85-7687-948-0
Gênero: Ficção Norte-Americana
Páginas: 97
Editora: Harlequin Books
Nota: 4/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino

Sinopse: O trabalho de governanta em um decrépito castelo era um recomeço para Zoe Clark. No entanto, ela não esperava encontrar um homem como Leandro Filametti. Ele, por sua vez, também fora surpreendido pela personalidade de Zoe. E, sob o calor do sol mediterrâneo, eles começam a vislumbrar um caminho para a realização de seus desejos...


Comentários:

Bonjour Anges!!

Finalmente é sábado, um dos dias em que espero com ansiedade pra poder compartilhar com vocês mais um pouco da minha leitura da “Pilha do Anjo”. Hoje trago a segunda história da edição do Harlequin paixão “A Fúria do desejo” e uma curiosidade é que a história é da autora Kate Hewitt, a mesma do livro “O Despertar da Paixão” que vimos há pouco tempo aqui na nossa pilha. Ela parece ser tão fissurada por italiano como eu. Legal, não é mesmo?


Mas, diferente do antecessor dessa autora, essa é uma história mais carregada emocionalmente. Dá até pra prever que esse seja o estilo que a autora segue, trabalhar mais o psicológico dos personagens e não apenas o relacionamento em si.

Em “Sob o Sol Mediterrâneo” conhecemos Zoe Clark, uma jovem alegre, de sorriso fácil, aparentemente despreocupada, cheia de vida, mas essa fachada de “garota fácil” esconde um passado cheio de tristeza, onde só conheceu a mãe e nunca teve um lar, pois tinha que viajar sempre que sua mãe conseguia um novo emprego como camareira. E assim como foi criada adotou o mesmo estilo de vida, não tendo nenhuma casa fixa, pulando de emprego a emprego como uma andarilha.

E foi assim que ela acabou indo parar na Itália. Depois de responder a um anuncio meio atípico e aparentemente muito promissor para um trabalho temporário, Zoe seguiu animada por descobrir onde passaria os próximos três meses de sua vida. Até porque, seria a primeira vez que cuidaria de algo mais pessoal, e não apenas de empresas ou hotéis. E isso a afetava de um jeito inesperado.

Mas, afetação mesmo ela só descobriu quando conheceu seu novo patrão. Leandro Filametti é um homem lindo, rico, porém meio estranho, meio amargurado e recluso, fruto de algo em seu passado, o que atiça um lado protetor em Zoe. Principalmente depois que ela percebeu que a Villa em que iria trabalhar estava caindo aos pedaços pelo abandono.

Essas duas pessoas tem mágoas profundas, um passado negro que os atormenta e que os leva a acreditar que não podem se aproximar de jeito nenhum. Porém, são esses mesmos sentimentos e uma atração inegável, fora o fato de estarem sozinhos em um cenário paradisíaco, que acaba por uni-los com um sentimento que nenhum dos dois está preparado para aceitar.

E é exatamente por isso que eu disse no inicio que esse romance era ainda mais carregado do que o outro livro da mesma autora. É mais complexo, mais profundo. A mensagem nas entrelinhas, a de aprender a se desprender do passado, perdoar os pais e a si mesmo e lutar para ser feliz é algo que deixa a história ainda mais linda.

A forma como o sentimento entre eles cresce e o relacionamento é construído faz a gente pensar sobre as aparências. O que aparentamos para os que nos veem? Será que nos enxergam como realmente somos? Será que enxergamos às outras pessoas como elas realmente são?

Essa é mais uma história de superação emocional, por mais profunda reflexão que cause em quem a lê não é um drama forçado e é isso que deixa o livro mais belo, pois o torna mais crível. Uma ótima leitura!


0 comentários: