O Circo da Noite

13:42 Josy Alves 0 Commentários

Título Original: The night circus
Autor: Erin Morgenstern
Tradutor: Claudio Carina
ISBN: 978-85-8057-160-8
Gênero: Ficção americana, literatura fantástica, magia
Páginas: 368
Editora: Intrínseca
Nota:  5/5
Estante: Skoob 
Onde comprar: Saraiva Cultura Submarino 





Sinopse: Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Bem-vindo a Le Cirque des Rêves.


Comentários:
Olá, anjinhos!
Nosso livro do dia é, literalmente, mágico! Prontos pra conhecerem mais sobre “O Circo da Noite”?

O circo monocromático que abre ao cair da noite e fecha ao amanhecer está longe de ser um circo comum, pois ali é um dos poucos lugares onde a magia de fato acontece. Onde podemos ver um belo Jardim de Gelo, um Labirinto de Nuvens e até mesmo uma Árvore dos Desejos.


Toda a trama se desenvolve a partir do momento em que Próspero, o Mágico, e seu velho amigo Alexander, o homem do terno cinza, iniciam uma nova aposta. Eles decidem que cada um treinará um jovem para que, no futuro, eles possam duelar e então decidir quem é o grande vencedor.

É assim que somos apresentados a Celia e Marco, respectivamente os aprendizes de Próspero e Alexander, e ao grande destaque da história, Le Cirque des Rêves, O Circo dos Sonhos. Acompanhando desde a criação da ideia deste que servirá de palco para o embate dos duelistas até sua montagem, escolha de membros da trupe e então primeiras apresentações à forma como os dois jovens estão levando seus treinamentos e esperando que seu adversário apareça. Em determinado ponto também conhecemos Bailey, um garoto que não tem nenhuma ligação com o circo, mas se sente atraído por ele quase como se fosse um imã.

A primeira vista, o livro possui uma narrativa confusa, com capítulos curtos que parecem conversar diretamente com o leitor intercalados com capítulos mais completos, narrados em terceira pessoa. E mesmo nestes últimos, seus capítulos são narrados pelo ponto de vista de mais de um personagem, inclusive com passagem de tempo entre um e outro. Sim, isso mesmo, você pode estar lendo um capítulo que acontece em março de 1894 e no seguinte ser “transportado” por outro para outubro de 1902.

Há quem possa torcer o nariz e achar isso horrível, a princípio é realmente um pouco complicado acompanhar, mas na metade do livro eu já completamente habituada às mudanças. E, devo dizer, apaixonada pelo livro.

Se você espera uma obra cheia de romance ou ação, sinto decepcioná-lo, mas este não é o seu livro. Apesar de tudo, o duelo é apenas um pano de fundo na história. Há uma boa dose de aventura, mas, acima de tudo, Erin Morgenstern trabalha o circo e o poder que este tinha de encantar e apaixonar as pessoas que o visitavam, de criar os rêveurs, os fiéis seguidores que vão ao circo usando apenas preto, branco ou cinza (as cores do circo) com um único detalhe em vermelho.

Um detalhe curioso que percebi observando outras opiniões por aí é que “O Circo da Noite” é um livro que ou se ama ou se odeia. Vi muitas (muitas mesmo!) opiniões negativas com relação à trama, que não foi bem trabalhada, que era supérflua ou mesmo sem sentido. Há também opiniões que quase poderiam ser confundidas com a de um revêurs.


Eu particularmente amei tudo, e achei simplesmente geniais algumas das sacadas da história, do duelo e até a forma como os personagens reagiram a elas. A autora tinha todos os elementos para mais uma história clichê, porém soube trabalhar de uma maneira poética e, arrisco dizer, inovadora.



0 comentários: