Nas Asas de um Anjo Diário Viajante

12:46 Milena Cherubim 0 Commentários


Hi Angels!

Esse foi um texto que fiz para o Diário Viajante da Paola, adorei fazê-lo. Usei livros que eu já tinha lido, não todos.... Espero que gostem da leitura, tentei fazer uma historinha rsrs


Esse Diário Viajante está sendo usado como confissões de um turista profissional. Como? Não entendeu? Vou tentar explicar. Colocando ideias diferentes de lugares diferentes aprendemos um pouco mais com todos que aqui contribuíram.
Para sempre estará gravado aqui a jornada que percorreu. Foi uma tormenta esperar ele chegar aqui, uma verdadeira epopeia. Perda de um caderno, demora de alguém que não queria mais fazer parte, mas não repassa para o próximo da lista... É... realmente ele foi beeeem esperado por mim.
Eu estava nas trevas até que a Cira e o Velho passaram por mim e Cira me disse:
Fico me questionando quem foi que conseguiu a captura de tanta gente e para quê. Mas o Velho logo acaba com a minha dúvida.
– Você deve estar se perguntando quem foi não é? O príncipe, Enelock, claro. Ele tem um elo com a irmandade. Os capturados terão que participar dos jogos vorazes e a regra do jogo é simples. Até o amanhecer é necessário que eles levem água para elefantes, descubram o código do imperador, os arquivos do semideus, ajudem o projeto hades a se concretizar, procurem os contos do Beedle, o Bardo, as cartas para Julieta, achem o último olimpiano que está com a sociedade do anel pegando a arma de vingança nas duas torres que fica no ninho de cobras do senhor das sombras. Eles terão que procurar o livro do cemitério... nele contém as descobertas do caso da senhorita canhota, do caso do marquês desaparecido, do caso Laura, do caso dos buquês bizarros e com essas informações eles terão que atravessar o mar de monstros que está em chamas depois disso ir nas profundezas  de Necrópolis fazer o pacto dos vampiros para se ter o preço da imortalidade. Essas relações de sangue fará com que a promessa de sangue da Julieta Imortal traduza o sucesso em palavras que a mão esquerda de Deus esconde. E o último desafio será uma luta no clube dos vampiros, com o rei e o camaleão para quebrar a maldição do Titã que assola Esmera.
Nossa. Com todas essas informações comecei a pensar o que eu faria para ajudar os dois, pois o destino de todos estavam em jogo. Sozinhos eles não conseguiriam... uma ideia foi crescendo na minha cabeça.
– E se chamássemos os guardiões do tempo que estão no Vale dos Anjos esperamos o retorno do rei para atacar Enelock e resgatar todos?
Me olharam incrédulos. Depois de preciosos minutos concordaram e fomos atrás de ajuda. Passamos por lugares diferentes, havia estátuas de sal sob uma lua nova no céu e com a ajuda do luar encontramos a entrada para o labirinto dos ossos, e pessoas no caminho se juntaram a nossa causa.
Eu sou o número quatro. Quem são vocês? Fallen logo ou a batalha do labirinto de Getsêmani acontecerá agora.
É... Fama & Anonimato, isso é bem interessante. Algumas pessoas nos conheciam outras não... muito interessante... chegamos e nos deparamos com o anjo a face do mal. Essa é a hora. Porém Cira fala uma coisa que acho intrigante “Enelock, você tem 72 horas para morrer!”, ok... mas eu acho que ele estará morto até o anoitecer. Não quero prolongar isso.
É às vezes eu escuto ecos da morte, não me olhem assim. Acho que essas mulheres insanas... elas matam! Tenho que tomar cuidado com elas... fui no relógio na colina e esperei. Com olhos de pantera enxerguei a batalha do apocalipse que acontecia lá embaixo e finalmente encontrei no crepúsculo um sangue errante. Fiquei curiosa e corri atrás.
“MEU DEUS!” Exclamei. Aquela coisa me levou direto para o livro das vidas. Uma relíquia muito preciosa que contém os segredos das redações. Com ele eu poderei finalmente ter as minhas aventuras no império do sol. Era a esperança que eu procurava para a história verdadeira da breve segunda vida de Bree Tanner. A era dos extremos me permitiu filmar o real da filosofia da caixa preta e conseguir ir naquelas formaturas infernais dançar hush, hush e enfim decidir entre o amor e a amizade com os vampiros em Dallas.
É... eu até iria continuar, mas o alerta de tempestade que o jornal 100 crônicas anunciou me fez pensar em uma sociedade midiatizada. Porém uma nota errada me fez questionar a apuração da noticia que a aura negra codinome para Kôra, minha b.f.f, divulgou.
Só sei de uma coisa. “Vampiros para sempre é o que nós queremos ser...” é uma música isso, ou algo parecido. Somos latinos-americanos à procura de um lugar neste século plantando violetas na janela. E com esse desfecho eu acordo de um sonho louco, com todos os personagens e livros que fizeram parte desses 2 anos de leituras.

Espero que tenham gostado! Beijos e bom fim de semana ;-)




0 comentários: