Elo

13:20 Milena Cherubim 4 Commentários

Um livro de James Capelli. Jornalista, repórter, apresentador, diretor, roteirista e professor. James nos delicia com um enredo envolvente da primeira palavra a última.

Eu estava indo na Livraria Cultura do Conjunto Nacional e lá estava a noite de autógrafos. Adoro livros policiais. Esse eu comecei a ler assim que sai da livraria. Fiquei esperando minha prima e até ela chegar... bom estava eu lendo e fui abordada por uma moça querendo tirar uma foto minha lendo o livro, eu estava gargalhando pois o início é hilário. E logo em seguida uma senhora falou a seguinte frase “Você está sentindo cheiro de cigarro???” achei estranho, mas ok. Vamos ao livro!

Elo traz a história de um policial chamado Júlio. Bom policial, que investiga como quatro policiais acabam mortos dentro da viatura. Isso culmina toda a história.

Pedrão era amigo íntimo de Júlio, foi até padrinho do amigo. Mas Pedrão estava se envolvendo com coisa errada. Ele cobrava de traficante. Sim a terrível propina. E Pedrão e mais três companheiros querendo o dinheiro do tráfico mais a droga, cocaína, eles estouraram a boca de fumo e levaram tudo.

Mas como provar isso perante os amigos, a esposa do amigo e principalmente a sociedade que já teme a corrupção. O caráter de Júlio falou mais alto. Denunciou... Manchete de capa dos principais jornais paulistanos. Juntamente com outro caso de sequestro. O filho da promotora Solange Barreto tinha sido levado. Solange Barreto... ele se lembrava dela...

Na manhã seguinte a denúncia Júlio estava tomando seu café da manhã e se deparou um problema muito maior. Seu filho Beto, não acordava. Imagina passar o tempo todo vivendo para o trabalho e quando você está em casa no seu mundo perfeito algo acontece e desmorona-o. Para Júlio era complicado, ele perdera a esposa e eram só os dois. Uma senhora os ajudava claro, mas família era Júlio e Beto.

Correram para o hospital, os médicos fizeram exames. Nada. Drogas – negativo. Álcool – negativo. O rapaz estava em coma e nenhum médico conseguia explicar nada. O que um pai poderia fazer neste momento? Aguardar... Mas Júlio não. Ele era um investigador e era isso que ele faria, buscaria algo em casa que teria causado isso.

Pegou o computador do filho, revirou a casa toda, e claro que ele tinha que ir na escola ver o que os amigos de seu filho poderiam dizer... André, ou melhor Zóio, amigo de seu filho falou que o Beto ia de vez em quando falar com o Samurai. Ele ensinava matemática para ele. Todos o achavam doido, mas o Beto sempre falava com o senhor Gustavo Nishiwara... ele via coisas...

“Elo. Eu vi. Elo liga tudo. Gustavo Nishiwara, meu nome. Engenheiro. Multinacional. Visão. Uma atrás da outra. Familia não quer saber disso. Sozinho. Rua. Visão, visão, visão. O elo mandou Beto. O elo manda. O elo é a chave que abre a porta.”

Júlio tentou levar o velho samurai para a delegacia, mas a última coisa que conseguiu tirar do velho foi que “sombras estavam atrás dele” e um tiro matou o velho na hora. De onde saíram os tiros? Para quem era a bala que matou o velho? Era para ele, o policial, ou para o mendigo? Júlio saiu dessa embosca com mais dúvidas.

Logo chegou a polícia. Júlio se identificou, um dos policiais era seu conhecido. Logo chegou a polícia científica e seu companheiro Paulão. Esse nem esperava o carro parar para descer e foi perguntando o que tinha acontecido...

Júlio pediu ajuda aos membros de sua equipe. A mais bem treinada e que confiava a sua vida.  Levou a CPU para analisar. Foi para casa. Chegando lá uma surpresa...

Para saber mais como termina essa história leia ELO!

Nota da Milena: Maravilhoso. Um livro com suspense, uma parte óbvia que no final explica tudo. Muito bem escrito, diagramado. Li em um dia, na verdade no mesmo dia do lançamento, como já tinha lido uma parte e no transporte para casa continuei, ai nem deu para parar. Só parei no fim e caramba, foi bom! Super recomendo!!!! Não tem vampiros, lobisomens mas existe um ar sobrenatural!!!! 

4 comentários:

  1. Oi Milena,
    Com tanta empolgação assim, o livro deve ser mesmo excelente!! E não acredito que perdi esse lançamento lá na Cultura!
    Beijos
    Camila - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  2. Parece mesmo ser muito bom! Sua resenha ficou muito boa, deu vontade de ler! Bjusss...

    ResponderExcluir
  3. É Camila... eu só fui pq minha prima trabalha lá e fui vê-la. O lançamento fui numa sexta.... e sempre passo por lá. Estava esse livro e o Anjos Tudo que você queria saber para entrar em contato AGORA. Eu participei dos dois rsrs Anjos ainda não li. Foi uma pesquisa árdua disse a Mirna, a autora, logo mais eu vou resenhar rsrs

    Muito obrigada Patty, realmente o livro vale a pena. É muito bem escrito. E quando isso acontece eu tenho o prazer de compartilhar com vocês. Porque me irrita profundamente ler um livro mal escrito... fico super chateada, pelo tempo, pelo dinheiro e por ter que falar que foi ruim...

    Mas é assim mesmo!!!! E vamos a leitura meninas!!!

    Bjssss

    ResponderExcluir
  4. Um bom mistério sempre é bom..Eu li um recentemente, Teia virtual.Apesar de ser viciada em livros sobrenaturais eu gosto de variar um pouco..Esse parece é legal!




    Duas meninas conversavam enquanto brincavam com suas bonecas: ­ Nossa, você viu aquela mulher. ­ Vi sim, velha ela, né? ­ É, deve ter uns trinta anos já!

    Gostaria de participar da promo do livro cidade das cinzas ou água para elefantes http://migre.me/4B8cT se tiver interesse passa lá no blog ok

    ^^

    ResponderExcluir