Simone O. Marques – Paganus




Hi Angels! Há um ano atrás a Simone e eu nos encontramos para papear e ela me trouxe alguns livros que ela escreveu sobre Mitologia Celta. Sei que estou mega atrasada com as leituras, mas é que minha vida literária está uma bagunça só... perdão a todos os envolvidos (a escritora e a vocês leitores do blog)

Agora...

PARE TUDO E LEIA O LIVRO PAGANUS!


O primeiro livro que eu li da Simone foi Tesouros da Tribo de Dana. Josy leu Agridoce, Etílico e Cítrico e gente... não tem como não AMAR os livros da Simone. Sério. Quando eu gosto de um autor eu indico mesmo, então leiam, leiam e leiam os livros dela!

Então vamos para a nossa resenha?

Qual a história?


O livro começa em Lisboa no ano de 1660 a 1670, Simone nos apresenta uma época em que as pessoas ainda acreditavam em “bruxas”. A igreja tomava conta de tudo, foi imposto o cristianismo e quem não se convertia, morria. 

Foi aqui, neste momento que conhecemos a história de dois gêmeos, Douglas e Diogo, que possuem um destino importante para a história. Cada um com seu propósito. 

Também conhecemos a cultura Celta. Que acreditavam em uma deusa chamada Dana, uma deusa que a ajudava as mulheres. Uma cultura matriarcal. As mulheres celtas eram fortes, nada submissas aos homens. Eles eram necessários apenas para procriar e fazer trabalhos pesados. A mulher que comandava. 

Gleide é uma mulher decidida. A anciã de sua aldeia. O engraçado é que a “anciã” tem quase a minha idade, 35 anos rs. Ela que cuida de todos na vila e da tradição. Ela é a responsável por passar todas as antigas histórias e cânticos na língua morta para as mulheres de sua linhagem.  Ela prevê algumas coisas e nem sempre são boas. Acho que a maioria são previsões ruins afff, mas fazer o que não é... nem sempre sonhos são bons.

Claro que, com a igreja tomando conta das aldeias, aqueles rituais pagãos deveriam sumir, todos deveriam acreditar no Deus único. Quem não aceitasse era queimado vivo.

É aí que entra a tríade dos Couto. Mário Couto, um homem poderoso. Sofre por sua mulher doente e acamada. Quando ela parte, o amor parte com ela. Ele é só azedume, senhor... que homem amargo. Trata seus filhos com dureza e fala que o amor é perda de tempo. Por seu irmão ser bispo ele toma conta de uma aldeia e leva o título de Dom. Um homem que adora matar hereges. 



Douglas Couto, Posso descrevê-lo como um gêmeo do mau haha Douglas é muito parecido com o pai, gosta de ver o sofrimento alheio. Gosta de fazer as pessoas sofrer. Diogo Couto, ai gente ele é um gentleman. Me apaixonei por ele. Não tem como não se apaixonar. Diogo é gentil, corajoso, não tem medo de fazer a coisa certa e no momento de maior aflição, ele decide pela vida. Adorei ele.

Os irmãos eram parecidos fisicamente a não ser por um dedo faltando em Douglas, mas em questão de personalidade... TOTALMENTE DIFERENTES.

Muitas coisas aconteceram na história como mortes, nascimentos, amores, guerra, assassinatos, duelos, decepções, traições... tem sangue escorrendo nesse livro A-D-O-R-O hahah

Gente... parecia que eu estava lá. Correndo pela aldeia com os pés descalços. Sentindo o vento nos cabelos. O cheiro das flores e aromas as ervas... A descrição do mar. O cheiro da maresia. Me doeu o coração ao ler a descrição dos escravos entrando nos navios... É me senti ali na história, assistindo tudo.

Existem mais quatro personagens, mas não colocarei aqui, pois posso dar spoilers. E isto não é legal. Então ficarei quietinha. Mas só digo que... Daniele me representa. Me dá vontade de agarrar o Angus. Guilherme... melhor nem comentar e Antônio... ah... Antônio. Gostei de você! 

As impressões que o livro me trouxe


Nossa, fiquei triste, alegre, chorei, ri demais, gargalhei mesmo. É uma mistura de sentimento que a Simone nos coloca e faz pensar. E pensar muito.

Como você se sentiria se sua família o odiasse por ser gentil e amável? Como você se sentiria se o mundo que você conhecesse não fosse exatamente o correto? Como seria sua vida se transformasse de uma maneira que você jamais imaginaria? Como seria passar por situações de assassinatos e quase morte para salvar uma vida? Como seria ir para o desconhecido?

Senti um misto de sensações enquanto lia e aprendi muito também. Acho que todo livro que lemos nos transforma de alguma forma. Já teve aquela sensação de já conhecer uma pessoa em um momento e perceber que já a conheceu sua vida toda? Não tem explicação, não é mesmo? Será alguma força superior colocando as pessoas em nosso caminho para determinadas situações? Eu acredito que sim, temos nosso livre arbítrio nesta vida, mas alguma coisas que nos são colocadas é para mexer com o nosso mundo. E as pessoas que estão nela nos ajudam a passar pelos perrengues e alegrias. 


Série: Saga As Filhas de Dana

1. Paganus
2. Samhan
3. Beltane

SERVIÇO:
Título: Paganus
Autor:  Simone O. Marques
ISBN: 978-85-98307-28-2
Assunto: Literatura nacional – romance  
Páginas: 320
Editora: Alfabeto
Nota: 5/5
Estante: Skoob
Sinopse:  Portugal, 1673. Duas mulheres celtas e um bebê recém-nascido enfrentam a perseguição da Igreja contra hereges pagãos. Obrigadas a deixar sua aldeia, ajudadas por um jovem cristão, partem em busca de um lugar onde possam cultuar seus deuses livremente. Em meio a sua fuga descobrem que a Grande Mãe tem uma missão para eles e que os levará a lugares inesperados e a uma desconhecida Terra Nova.




Um adendo aqui. Simone acabou de me informar que tem capa nova e editora nova!!!!! Então vamos para a capa:


Eu adorei! Gosto das duas capas na verdade. E agora a casa dela é a Editora portuguesa Estremoz! Simmmmm Filhas de Dana saiu em Portugal também!

[Dica] Coffeetown The American Coffee and Cake - Vila Mariana



Olá pessoal! 

Há alguns meses vi uma propaganda no meu Instagram de uma cafeteria localizada na Vila Mariana, fiquei curiosa com a proposta pois ela dizia trazer pratos típicos americanos, como Red Velvet, Panquecas, Waffles, Cinnamon Rolls...Uma infinidade de gostosuras.


Imagem da parte externa que peguei na interné, bem simpático :) 



"O ano é 1937, a lei seca havia acabado em 1933, Al Capone estava preso e Eliot Ness, a serviço de Edgar Hoover, continuava a sua luta contra o crime organizado. Começou aqui a era dos cafés. Tudo começou em 1998 durante uma viagem que fiz para Chicago. Lá conheci várias cafeterias conceito muito interessantes e ai me apaixonei. Nos anos seguintes conheci outras lojas em Boston, Baltimore, Conecticut e Nova York. Sou um amante da cultura americana, mas principalmente dos seus cafés/coffeeshops com aquela pegada cool, um pouco hipster e o que mais me chamou a atenção durante essas visitas que fiz foi que, além da capacidade singular dessas lojas para oferecerem aos consumidores uma experiência de compra mais completa, foi a sua "atmosfera", o mix de marketing bem harmonizado com um posicionamento de marca simples e objetivo"



Eduardo. Sou o fundador da Coffeetown -The American Coffee and Cake, Co










Bolos!!! 




Bem, eu e o Rafa chegamos ao local por volta das 18h, a casa estava razoavelmente cheia, ao entramos, como não sabíamos direito como funcionava a casa, ficamos aguardando algum funcionário passar para perguntar se a gente sentava na primeira mesa que visse ou esperava eles nos chamarem, depois de alguns minutos apareceu um rapaz para levar um grupo de umas quatro pessoas para uma mesa e ficamos lá junto a um grupo de outras três aguardando, aí esse rapaz voltou e uma moça desceu a escada e perguntaram quem estava na frente e nós falamos "o grupo da frente", mas como eles estavam em três e nós em dois, fomos atendidos antes e fomos para nossa mesa.



Cosa Nostra Sandwich, essa é uma metade, o Rafa ficou com outra. 



Quando sentamos a atendente veio alguns minutos depois nos levando o cardápio.


Eu tenho a meta de comer todos os bolos Red Velvet do universo, então, peguei o deles para provar, com uma água de coco e mais um Cosa Nostra Sandwich que vem em um pão tipo ciabata que é grelhadinho e recheado com pepperoni, tomate cereja, queijinho e um negócio que parece uma conserva de couve flor, bem gostoso.



Red Velvet 

Claro que pedi meu Red Velvet e o Rafa pediu o bolo Guinness Fudge que vai a cerveja stout e amêndoas.


Guinness Fudge 



O Red Velvet estava molhadinho mais para o meio, nas laterais estava mais seco (o que me deixou triste), o bolo do Rafa estava BEM gostoso e BEM molhadinho, para quem curte uma coisa diferente esse é bem vindo!






Cafés a venda 


Teve uma hora que um atendente passou lá perguntando de quem era um café x, bem perdido coitado, mas achei estranho pois eles fazem os pedidos por mesa, então não teria como se confundir, mesmo assim eles estavam meio atrapalhados, e eram muitas pessoas para poucos funcionários.


Mas apesar de tudo a experiência foi boa e pretendo voltar lá para provar outros pratos e tomar café desta vez (sendo que acho uma besteira você coar seu próprio café, eu faço isso em casa, na cafeteira, evitando acidente).


SERVIÇO

Coffeetown The American Coffee and Cake - Vila Mariana
Rua: Jardim Ivone, 21 - Vila Mariana, São Paulo - SP - CEP: 04105-020
Telefone: (11) 5081-7272
Horário de Funcionamento: Todos os dias das 08:00 as 20:30
Formas de Pagamento: Débito, Crédito e Refeição.
Nota: 4/5

[DICA] Bienal do Livro SP - Editora V & R




V&R EDITORAS PARTICIPA DA 25ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO COM LANÇAMENTOS DE DESTAQUE PARA COMEMORAR 20 ANOS DE ATIVIDADES NO BRASIL



Entre os destaques estão títulos da V&R Editoras, como As Garotas Spring, de Anna Todd (que revisita o centenário clássico de Louisa May Alcott, Mulherzinhas), Vovô Mandela, Escrito e desenhado por Enriqueta (do cartunista argentino Liniers), O espaço (de Blandina e Lollo), além de livros Young Adult da PLATAFORMA21 como Mensageira da Sorte, de Fernanda Nia, primeira autora nacional do selo YA; Hazel Wood – A origem do azar, uma versão sombria de Alice no país das maravilhas, de Melissa Albert, em adaptação pelo Canal Sony e Os arteiros mágicos, primeiro livro do ator Neil Patrick Harris


A V&R Editoras marca presença na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece entre os dias 03 e 12 de agosto no Pavilhão do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana).

Ao visitar seu stand, de 140 metros quadrados localizado nas ruas J e K 048, o público poderá conhecer títulos inéditos de 2018, além de um catálogo diversificado com títulos de ficção; infantis, infantojuvenis (entre eles, o best-seller Diário de um Banana, atualmente em seu 12º. título) e os recentes sucessos Histórias de Ninar para garotas rebeldes 1 e 2), mandalas, gastronomia e livros-presentes.


Para a 25ª edição da Bienal, a V&R Editoras, que comemora 20 anos de atividades no País, destaca quatro lançamentos especialmente selecionados para o evento literário que é tradição em São Paulo junto aos leitores. São eles: As Garotas Spring, de Anna Todd (que revisita o centenário clássico de Louisa May Alcott, Mulherzinhas), Vovô Mandela (criado em conjunto por seus bisnetos e filhas para celebrar o que o 100º aniversário de Nelson Mandela), Escrito e desenhado por Enriqueta (segundo livro infantil do cartunista argentino Liniers), O espaço (de Blandina e Lollo), entre outros títulos.


Estande integrado V&R Editoras + Plataforma21:


Em um espaço integrado, o estande de 140 m² será dividido ao meio; do lado da V&R funcionará como uma livraria, os livros estarão separados por segmentos: infantis, juvenis, culinária, livros-presentes, mandalas e os best-sellers Histórias de Ninar 1 e 2em destaque. O estande terá um nicho dedicado ao Diário de um Banana, onde o público poderá tirar fotos, nos fins de semana, com o personagem Greg Heffley, ao vivo. Isso mesmo, o próprio Banana!



O outro lado do estande é destinado a livros para jovens e adultos, da Plataforma21 e o foco central será o best-seller Hazel Wood. Além deste destaque, em cada extremidade do estande, haverá dois nichos dedicados a Os Arteiros Mágicos e ao título A Mensageira da Sorte.



Floresta e mágica no estande:



No espaço central de Hazel Wood, a Plataforma21 preparou ambientação de floresta com galhos secos a fim de remeter ao universo de contos de fadas sombrios onde se passa a história. Já no nicho do título Os Arteiros Mágicos estarão disponíveis cerca de 15 cartolas, onde o leitor poderá virar uma cartola e encontrar no seu interior a promoção do dia no estande com um presente ou desconto. Nos finais de semana, um mágico estará no estande realizando truques que constam no livro Os arteiros mágicos. No nicho de A Mensageira da Sorte, além da autora Fernanda Nia estar presente no dia 04 de agosto, sábado, às 15 horas para um bate-papo com a booktuber e escritora Pam Gonçalves e às 16 horas para autógrafos de seu lançamento, serão entreguesbiscoitos da sorte com frases retiradas do livro.



De acordo com a diretora da V&R editoras do Brasil, Sevani Matos, “pretendemos crescer cerca de 18% em vendas nesta edição da Bienal do Livro em relação à última Bienal, em 2016”. Sevani destaca, ainda que os lançamentos para o evento evidenciam a preocupação da Editora junto a seu público fiel – e, por isso, a ampliação do leque de títulos para diferentes públicos. “Somos pioneiros na América latina em trazer para o leitor o conceito de livro-presente e pretendemos continuar a crescer também no segmento de literatura para jovens adultos. Nosso catálogo de livros infantojuvenis e de gastronomia já conta com diversos títulos e são um sucesso entre os leitores”, afirma Sevani Matos.


Fonte: Plataforma 6